CNI: 77% da população concordam com exigência de vacinação em escolas

Geral

Foto: Reprodução Internet

Foto: Reprodução Internet

Pesquisa realizada pela Confedera√ß√£o Nacional da Ind√ļstria (CNI), em parceria com o Instituto FSB Pesquisa, mostrou que 70% dos entrevistados pretendem continuar com o uso de m√°scaras faciais, mesmo após o fim da obrigatoriedade.

Segundo o levantamento, 77% da popula√ß√£o s√£o favor√°veis à exig√™ncia de comprovante de vacina√ß√£o para o acesso a institui√ß√Ķes de ensino de todos os n√≠veis, apesar de observarem queda no n√ļmero de contamina√ß√Ķes e mortes.

"A popula√ß√£o reconhece que a vacina√ß√£o foi fator determinante para o enfrentamento da crise sanit√°ria, e o Brasil é um dos pa√≠ses que se destacam pelo alto √≠ndice de cobertura vacinal. Estamos em cen√°rio de menor gravidade da pandemia, prop√≠cio ao retorno das atividades econômicas a um ritmo próximo da normalidade, com retomada do emprego", afirmou Robson Braga de Andrade, presidente da CNI.

Em espa√ßos de lazer e atividade f√≠sica, como teatros, shoppings, cinemas e academias, o √≠ndice de pessoas que afirmaram que manteriam o uso de m√°scaras é de pouco mais de 40%. Cerca de 17% dos entrevistados disseram que n√£o usam mais o equipamento de prote√ß√£o individual.

"É precoce dizer que o uso de m√°scaras continuar√° a ser um padr√£o entre os brasileiros, mesmo com o fim da obrigatoriedade. Os √≠ndices de contamina√ß√£o e óbitos por covid-19 est√£o muito presentes na memória da popula√ß√£o. Precisamos continuar a avaliar esse comportamento nos próximos meses", explicou Marcelo Azevedo, gerente de An√°lise Econômica da CNI.

O levantamento mostra ainda que 61% dos entrevistados conheciam alguém que morreu em decorr√™ncia de covid-19. Entre as pessoas que responderam à pesquisa, 35% relataram que foram infectadas pelo novo coronav√≠rus - 5% contra√≠ram a doen√ßa nos √ļltimos tr√™s meses.

Na avalia√ß√£o dos entrevistados, 60% n√£o acreditam que a crise sanit√°ria continue em est√°gio grave, enquanto os 40% restantes ainda avaliam a pandemia como perigosa. O estudo relata que a grande maioria da popula√ß√£o (95%) visitou um supermercado nos √ļltimos tr√™s meses; 45% foram ao shopping e 36% viajaram de ônibus ou avi√£o.

A pesquisa foi feita entre os dias 1¬ļ e 5 de abril e entrevistou 2.015 pessoas em todos os estados e no Distrito Federal.