Ciro Gomes promete intensificar esforços federais contra o crime

Geral

Foto: Reprodução Internet

Foto: Reprodução Internet

Logo Agência Brasil

"Quem tem sensibilidade com a agenda do povo tem que fazer alguma coisa na seguran√ßa p√ļblica", disse Ciro ao participar, em S√£o Paulo, de um evento organizado pelo Centro de Integra√ß√£o Empresa-Escola (CIEE).

Ex-governador do Cear√°, o candidato trabalhista disse que as fac√ß√Ķes criminosas assumiram o controle de parte das principais cidades brasileiras. "Hoje, o grande crime s√£o as fac√ß√Ķes criminosas, que estabeleceram o terror nas periferias de todas as cidades", disse Ciro Gomes.

Notícias relacionadas:

"Por que a pol√≠cia local n√£o resolve o problema? Porque o policial é um trabalhador; tem renda de trabalhador e, portanto, a fam√≠lia dele vive nas periferias. Ent√£o, para sobreviver, ele tem que estabelecer um certo pacto de conviv√™ncia com o [quadro de] terror que a fac√ß√£o estabeleceu [no local]", disse Ciro, reconhecendo que, nesse contexto, "uma fra√ß√£o" dos agentes p√ļblicos acaba se corrompendo.

"Mas [o problema] n√£o é este, e sim que [parte dos policiais] precise fazer este pacto [de conviv√™ncia]", disse.

"Só quem tem capacidade de enfrentar isso é uma institui√ß√£o de fora, ou seja, o poder central [o governo federal]. Por isso, vou federalizar o enfrentamento [em todas as inst√Ęncias: Pol√≠cia Federal; Ministério P√ļblico Federal; Justi√ßa Federal e penitenci√°rias federais. Passa a ser federal o enfrentamento do crime organizado, da fac√ß√£o criminosa, do narcotraficante, do contrabando de armas", explicou Ciro Gomes.

"Para fazer isso, tenho que mudar o Or√ßamento e a lógica das pol√≠cias. O financiamento, [consigo] com a revoga√ß√£o do teto de gastos. E [a mudan√ßa da lógica] introduzindo tecnologia e intelig√™ncia de forma massiva [no sistema operacional]. Modernamente, n√£o se faz seguran√ßa entrando em favelas atirando para todos os lados. É preciso monitorar a movimenta√ß√£o de dinheiro", acrescentou Ciro.

"Assim [federalizando o combate ao crime organizado], eu vou na causa substantiva da viol√™ncia. E a viol√™ncia difusa, esta que assusta a classe média brasileira e todo mundo, o assalto, este n√£o ter√° sa√≠da se n√£o matarmos no nascedouro a grande fonte do crime, que s√£o estas organiza√ß√Ķes criminosas", disse o candidato.