Bancada feminina encolhe no Senado; Câmara elege a maior da história

Geral

Foto: Reprodução Internet

Foto: Reprodução Internet

Logo Agência Brasil

A bancada feminina no Senado encolheu nas elei√ß√Ķes de domingo (2). Em 2019, in√≠cio da atual legislatura, eram 12 senadoras e, a partir de janeiro de 2023, ser√£o 10. Dos 27 eleitos para vagas na Casa, apenas quatro s√£o mulheres: Damares Alves (Republicanos-DF) e Tereza Cristina (PP-MS), a atual deputada Professora Dorinha (Uni√£o-TO) e a deputada estadual Teresa Leit√£o (PT-PE).

Damares e Tereza Cristinas foram ministras no governo Bolsonaro. Dorinha e Tereza Cristina v√£o assumir as cadeiras que, até 31 dezembro deste ano, s√£o de Simone Tebet (MDB-MS) e K√°tia Abreu (PP-TO).

Caso o senador Jorginho Mello (PL-SC), que disputa o segundo turno das elei√ß√Ķes para governador, seja eleito, a representa√ß√£o ainda pode aumentar: Ivete da Silveira (MDB-SC) assumiria o mandato como suplente na vaga de Mello e seria a 11¬™ mulher.


C√Ęmara

Caso o senador Jorginho Mello (PL-SC), que disputa o segundo turno das elei√ß√Ķes para governador, seja eleito, a representa√ß√£o ainda pode aumentar: Ivete da Silveira (MDB-SC) assumiria o mandato como suplente na vaga de Mello e seria a 11¬™ mulher.

Outra marca alcan√ßada por mulheres nessas elei√ß√Ķes foi a de maior vota√ß√£o em suas unidades da federa√ß√£o. É o caso das deputadas Bia Kicis (PL-DF), Caroline de Toni (PL-SC), Nat√°lia Bonavides (PT-RN), Yandra de André (Uni√£o-SE), Silvye Alves (Uni√£o-GO), Dra Alessandra Haber (MDB-PA), Socorro Neri (PP-AC) e Detinha (PL-MA).

A federa√ß√£o de partidos liderada pelo PT elegeu o maior n√ļmero de deputadas na C√Ęmara Federal: 21. O PL vem em seguida, com 17 cadeiras conquistadas na Casa. O PSD também teve aumento expressivo de deputadas eleitas neste ano, passando de uma para quatro representantes em 2023.