Operação combate fraudes com criptomoedas no Brasil e no exterior

Geral

Foto: Reprodução Internet

Foto: Reprodução Internet

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (6) a Opera√ß√£o Poyais contra uma organiza√ß√£o criminosa suspeita de praticar fraudes bilion√°rias envolvendo criptomoedas no Brasil e no exterior. Cerca de 100 policiais, além de servidores da Receita Federal, cumprem 20 mandados de busca e apreens√£o.

A 23¬™ Vara Federal de Curitiba decretou o sequestro de imóveis e o bloqueio de valores dos suspeitos. As ordens judiciais s√£o cumpridas na capital paranaense, em S√£o José dos Pinhais (PR), Governador Celso Ramos (SC), Barueri (SP), S√£o José do Rio Preto (SP) e em Angra dos Reis (RJ).

De acordo com a PF, em janeiro de 2022, o departamento de Seguran√ßa Interna da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília informou que uma empresa internacional e seu principal gerenciador, um brasileiro residente em Curitiba, estavam sendo investigados pela For√ßa Tarefa de El Dorado por envolvimento em conspira√ß√£o multimilion√°ria de lavagem de capitais a partir de um esquema de pir√Ęmide de investimentos em criptoativos.

"Diante das informa√ß√Ķes e do pedido de coopera√ß√£o policial internacional, iniciou-se investiga√ß√£o em Curitiba por conta das suspeitas da ocorr√™ncia de crimes conexos às fraudes praticados nos EUA pelo brasileiro, notadamente quanto à lavagem transnacional dos recursos ilícitos recebidos no exterior", informou a corpora√ß√£o.

Dilig√™ncias iniciais revelaram que o brasileiro possuía mais de 100 empresas abertas no Brasil vinculadas a ele e, através do grupo empresarial, estaria lesando investidores no exterior e em território nacional.

"No Brasil, constatou-se que o investigado logrou √™xito em iludir milhares de vítimas que acreditavam nos servi√ßos por ele prometidos através de suas empresas, os quais consistiam no aluguel de criptoativos com pagamento de remunera√ß√Ķes mensais que poderiam alcan√ßar até 20% do capital investido."

Simultaneamente, segundo a PF, constatou-se que a mesma organiza√ß√£o criminosa, com parceiros no exterior, cometia fraude semelhante, porém focada em marketing multinível, nos Estados Unidos e em ao menos outros dez países.

Dilig√™ncias investigativas revelaram que a organiza√ß√£o criminosa movimentou, no Brasil, cerca de R$ 4 bilh√Ķes pelo sistema banc√°rio oficial.

"As ordens judiciais cumpridas na data de hoje visam n√£o apenas a cessa√ß√£o das atividades criminosas, mas também a elucida√ß√£o da participa√ß√£o de todos os investigados nos crimes sob apura√ß√£o, bem como o rastreamento patrimonial para viabilizar, ainda que parcialmente, a repara√ß√£o dos danos gerados às vítimas", destacou a corpora√ß√£o.