Portal Realidade

10 materiais gratuitos e muito procurados sobre educação antirracista

Uma biblioteca digital antirracista com download gratuito dos materiais. Este é um dos eixos do Projeto Anansi – Observatório da Equidade Racial na Educação Básica, organizado a partir do acervo bibliográfico do CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades). Fundada por Cida Bento, psicóloga e ativista do movimento negro, a organização não-governamental é voltada aos direitos da população negra, com a elaboração e implementação de projetos nas áreas de educação, gênero, justiça racial, trabalho e juventude em instituições públicas e privadas.

Na lista abaixo, você confere os 10 materiais mais acessados da plataforma em 2023: de guias com brincadeiras africanas e afro-brasileiras a estudos sobre escolas quilombolas, todos reúnem práticas relacionadas à implementação da educação antirracista. Boa parte dessas pesquisas está ligada à “escrevivência” de professores e pesquisadores – o termo criado pela escritora Conceição Evaristo une as palavras “escrever e vivência”. “A escrevivência não é a escrita de si, porque esta se esgota no próprio sujeito. Ela carrega a vivência da coletividade”, define Conceição.

Catálogo de jogos e brincadeiras africanas e afro-brasileiras

Quando Yacine Tavares partiu de Guiné-Bissau ao Brasil, a estudante de pedagogia na Unilab (Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira) veio com a ideia de estudar jogos e brincadeiras africanas e afro-brasileiras. O encontro com a professora e orientadora Míghian Danae resultou neste catálogo, que reúne as experiências de países africanos de língua oficial portuguesa, além do Brasil, sendo Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Guiné-Equatorial.

Acesse aqui

O conselho de griôs 

Griôs são contadores e contadoras de histórias da tradição oral africana, que repassam os acontecimentos milenares dos povos, palavra por palavra, a outras gerações. Neste livro, Manoel Filho Borges e Lucelina Gomes dos Santos detalham o trabalho dessas sábias pessoas da Comunidade Quilombola Dona Juscelina, localizada em Muricilândia (TO).

Acesse aqui

Educação para as relações étnico-raciais na escola: por uma educação antirracista, inclusiva e multiétnica

Ainda no Quilombo Dona Juscelina, citado no livro acima, professores e professoras sentiam falta de materiais de referência sobre educação antirracista e educação quilombola. Pensando nisso, a equipe elaborou um livro para inspirar outros educadores e a própria comunidade com experiências dos próprios estudantes. 

Acesse aqui

O artigo reúne ações realizadas pelo LitERÊtura – Grupo de estudos e pesquisas em diversidade étnico-racial, literatura infantil e demais produtos culturais para as infâncias, da Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo). As autoras Débora Cristina de Araujo, Sonia Dalva Pereira da Silva, Daniela dos Santos Alacrino e Amanda Ribeiro de Almeida refletem sobre cursos de formação continuada e pesquisas desenvolvidas no grupo, focadas em famílias negras na literatura infantil e no PNLD (Programa Nacional do Livro e do Material Didático) literário.

Acesse aqui

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.