Portal Realidade

Ameaças, agressões à ex, sequestro encenado e afastamento da polícia; deputado Da Cunha coleciona polêmicas

Um vídeo do deputado federal Carlos Alberto da Cunha, “Delegado Da Cunha”, de 46 anos, supostamente agredindo e ameaçando de morte a ex-companheira foi exibido pelo Fantástico, da TV Globo. O material, agora, faz parte de um pacote de polêmicas que o parlamentar tem colecionado. De 2021 para cá, ele chamou policiais de ratos e foi afastado da polícia,perdeu a posse de arma e distintivo, confessou ter encenado um sequestro e foi acusado de agressão (veja abaixo).

Em outubro de 2023, Da Cunha virou réu em uma ação de violência doméstica contra a nutricionista Betina Grusiecki, de 28 anos, com quem mantinha união estável há três anos. Ela o acusa por ameaça, agressão e injúria. O deputado negou ter agredido a ex-mulher à Justiça.

Nas imagens, apresentadas pelo Fantástico, é possível ouvir o deputado fazer graves ameaça contra a vida de Betina. “Eu vou te matar. Vou te encher a tua cara de tiro”. O som batidas que podem ser ouvidas, conforme relatou a mulher ao Ministério Público, seria da cabeça sendo jogada pelo delegado contra a parede do banheiro.

Da Cunha e Betina tinham relacionamento há anos — Foto: Reprodução

Da Cunha e Betina tinham relacionamento há anos — Foto: Reprodução

Ainda no processo, Da Cunha negou o episódio em que teria batido com a cabeça da ex na parede. Ele citou apenas que o momento do casal não era bom. “Os dois estavam fora do prumo. Os dois estavam desestabilizados”. O laudo do Instituto Médico Legal (IML), porém, constatou escoriações no couro cabeludo e lesões corporais leves em Betina.

O advogado do deputado, Eugênio Malavasi, afirmou não ser possível confiar na veracidade do vídeo antes de uma análise. “Eu vou pedir a submissão desse vídeo à perícia. Porque esse vídeo não foi periciado. Não estou falando que é inverídico, mas não passou pelo crivo do Instituto de Criminalística. Não foi submetido a perícia oficial.”

Procurada pela Globo, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) justificou que, devido à atividade parlamentar, Da Cunha está afastado da atividade de delegado. Informou ainda que, contra ele, há cinco procedimentos em andamento pela Corregedoria da instituição, todos sem decisão definida.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.