Portal Realidade

Comissão de Esporte aprova homenagens a Pelé e Ayrton Senna

A COMISSÃO DE ESPORTE APROVOU HOMENAGENS À PELÉ E À AYRTON SENNA. O “REI DO FUTEBOL” TERÁ UMA DATA COMEMORATIVA E O PILOTO, O NOME INSCRITO NO LIVROS DOS HERÓIS E HEROÍNAS DA PÁTRIA. REPÓRTER PEDRO PINCER: A Comissão de Esporte aprovou  um projeto do deputado Luciano Ducci, do PSB do Paraná, que institui o Dia do Rei Pelé, a ser comemorado anualmente em 19 de novembro, data em que Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, marcou seu milésimo gol, em um jogo Santos x Vasco, no ano de 1969. Para o relator, senador Jorge Kajuru, do PSB de Goiás, a instituição da data comemorativa é um reconhecimento a uma figura marcante do esporte mundial; o único jogador a conquistar três títulos mundiais, nas Copas de 58, 62 e 70. Kajuru lembrou que Pelé usou sua imagem e influência para chamar a atenção para questões como a proteção dos mais vulneráveis, especialmente as crianças. E ainda, para a defesa de causas sociais, além de sua atuação como ministro do Esporte, entre 95 e 98: (sen. Kajuru) “Ele, Edson Arantes do Nascimento, transcendeu os limites do campo, tornando-se um embaixador do Brasil, elevando o padrão do futebol e inspirando milhões com a sua trajetória de superação e determinação.A aprovação do projeto celebra o legado de Pelé e os valores que ele representa, como excelência, perseverança, solidariedade e amor ao próximo.” O texto vai à sanção presidencial. A Comissão de Esporte também aprovou a inclusão do nome de Ayrton Senna da Silva no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. A homenagem pretende reconhecer o mérito do piloto que se tornou um dos maiores ícones esportivos do Brasil. Senna morreu em 1º de maio de 1994, quando o carro que pilotava colidiu com uma barreira de concreto, durante o Grande Prêmio de San Marino, no Autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Ímola, na Itália. O autor da proposta, senador Astronauta Marcos Pontes, do PL de São Paulo, destacou que o símbolo que Senna criou no imaginário popular foi muito além da sua condição de piloto de Fórmula 1: (Sen. Astronauta Marcos Pontes) “Eu tenho certeza de que a maioria dos que estão aqui, aqueles que nos ouvem também, os mais velhos, se acostumaram, antes de 1994, a ligar a televisão no domingo e assistir à Fórmula 1, talvez não pela Fórmula 1, em si, mas pelo Ayrton Senna e por todo o carinho que ele tinha com o nosso Brasil, vencendo, ao levantar a bandeira do Brasil, e por esse orgulho que ele mostrava em ser brasileiro.” O projeto segue para análise da Câmara dos Deputados. Da Rádio Senado, Pedro Pincer.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.