Portal Realidade

Consultor do FBI que inspirou filme com Leonardo DiCaprio traz 5 dicas para reforçar a sua segurança digital

Senhas, biometria facial, códigos por mensagem e testes diversos são apenas algumas das formas que o mercado encontrou para proteger a segurança das pessoas e dos negócios nos ambientes digitais. Quanto mais a internet evolui, mais criativas ficam as tentativas de fraude e mais avançadas as ferramentas para evitá-las. Uma delas, no entanto, permanece a mesma: conscientização e educação.

Essa é uma das primeiras dicas de Frank Abagnale, o ex-golpista que inspirou o filme “Prenda-me se for capaz”, com Leonardo DiCaprio e Tom Hanks, e atual consultor antifraude para o FBI, CIA e uma série de empresas e grandes bancos americanos. Em passagem recente pelo Brasil, ele palestrou em evento da Unico, empresa brasileira especializada em identidade digital, para o lançamento da Unico IDCloud, plataforma que integra as soluções da companhia para uma experiência com 100% de precisão. Na ocasião, ele abordou temas como segurança na internet, meios de pagamento mais seguros e possíveis soluções para os desafios de verificação de identidade.

Além de se manter bem atualizado sobre golpes online, o especialista trouxe mais algumas dicas valiosas sobre como se manter seguro na internet:

Cartão de débito nunca mais!

“Eu nunca tive um cartão de débito”, afirma o consultor, antes de classificar o cartão de crédito como a forma mais segura de gastar dinheiro. Segundo ele, o risco e a exposição dos dados são da operadora de cartões e não de sua conta pessoal. Se o cartão de crédito for clonado e os criminosos conseguirem gastar milhares de reais de um dia para o outro, as compras podem ser contestadas e o dinheiro devolvido ao consumidor. Além disso, nas compras online, a própria Unico tem uma solução, o Unico IDPay, que garante a identidade do comprador e valida a titularidade do cartão de crédito junto ao emissor, ou seja, é uma dupla segurança para as pessoas e as empresas.

Já os cartões de débito estão vinculados diretamente à sua conta do banco. Com as ferramentas corretas, o golpista consegue ter acesso a diversas informações bancárias de sua vítima. Se ele conseguir acessar e limpar a sua conta, é provável que esse dinheiro esteja perdido para sempre.

Suas informações nas redes sociais

Tudo o que você postar pode e será usado contra você em um ataque de phishing ou engenharia social. Imagine receber uma mensagem de um amigo, lembrando da última viagem que fizeram a determinado lugar e sugerindo outro passeio, mas, dessa vez, no mês de seu aniversário e chamando outro amigo em comum para ir também. Com a mensagem, ele manda o endereço de um site com ótimos descontos para a sua próxima viagem. Você clicaria nesse link?

Todas essas informações – e muitas outras – podem ser encontradas em menos de cinco minutos nas redes sociais. Quanto mais personalizada for a mensagem, com detalhes de atividades e dados pessoais, maiores são as chances de ocorrer o golpe. “Um dia, vamos acordar e perceber que as redes sociais foram um experimento preocupante: elas mostram onde e quando você nasceu, quem são seus amigos e seus hobbies, tem foto que pode ser usada para documentos, ou seja, tem 90% das informações necessárias para roubar uma identidade ou realizar ataques com engenharia social”, explica Frank.

Romances online podem ser uma cilada

Dia dos namorados está chegando, e o cuidado precisa ser redobrado por quem está procurando o grande amor online. O especialista conta que “golpes de romance”, no qual a pessoa não só ganha a confiança da outra como faz com que ela se apaixone, triplicaram nos últimos anos. São golpes que podem demorar bastante, mas os criminosos vão coletando informações aos poucos e esperam seu alvo abrir brechas para agirem, sempre proferindo seu amor e “hipnotizando” suas vítimas.

De acordo com Frank, no entanto, golpes que envolvem engenharia social e manipulam as emoções trazem sempre um desses dois alertas: em algum momento, eles vão pedir dinheiro ou dados pessoais sensíveis, ou seja, informações que permitam a identificação de uma determinada pessoa. “O golpe mais fácil de ser cometido é aquele no qual os criminosos ganham a confiança das pessoas. Hoje em dia, com a tecnologia, é quatro vezes mais fácil fazer isso”, conta. “Esse tipo de golpe existe há mais de 200 anos e principalmente a educação pode ajudar a combatê-lo”.

Dados pessoais de crianças

“Não tem vítima melhor que criança, é só estudar a dark web” foi uma das frases mais preocupantes do consultor. Segundo ele, dados pessoais de crianças valem muito mais que de adultos, pois podem ser usados por muitos anos antes da fraude ser descoberta. Os criminosos usam o nome da criança, os dados do CPF e o nome da mãe para criar linhas falsas de crédito ou receber irregularmente benefícios sociais.

Esse se tornou um problema muito grave, principalmente nos Estados Unidos. Em 2011, um estudo do CyLab da Universidade Carnegie Mellon calculou que os roubos de identidades de crianças norte-americanas são 51 vezes maiores do que os de adultos.

Idosos também são alvos

Por uma razão muito diferente da fraude com dados de crianças, os golpistas acabam preferindo atacar pessoas com mais idade por uma razão simples: elas estão menos familiarizadas com a tecnologia atual. A estratégia funciona: de acordo com Frank, US$ 37 bilhões são roubados de idosos todos os anos nos EUA.

De acordo com o Censo Demográfico de 2022 do IBGE, o total de pessoas com 65 anos ou mais no país (22.169.101) chegou a 10,9% da população, com alta de 57,4% frente a 2010, quando esse contingente era de 14 milhões. Esse é o maior número de idosos da história do país. Segundo o especialista, “o importante é não ter vergonha de assumir que foi vítima de uma fraude e comunicar, o mais rápido possível, ao banco e às pessoas a seu redor sobre o ocorrido”. O objetivo é resolver o quanto antes e também alertar outras pessoas.

Segundo Frank, hoje o combate à fraude pode ser resumido em três palavras: autenticação da identidade, prevenção e educação. Enquanto a primeira é de responsabilidade do governo e das empresas, todas as pessoas devem estar alertas e adotar boas práticas ao utilizar a internet. São as pessoas que causam as brechas e oportunidades que hackers e criminosos buscam. “Se você facilitar para alguém roubar sua identidade, uma fraude e/ou golpe provavelmente vai acontecer com você em algum momento”, afirma o consultor.

Sobre a Unico

Fundada em 2007, a Unico é pioneira e líder em soluções de identidade digital no Brasil. Tornou-se unicórnio em agosto de 2021 e, oito meses depois, recebeu a quarta rodada de investimento de sua história, sendo avaliada em USD 2.6 bilhões. A IDTech desenvolve soluções inovadoras para a proteção da identidade nas relações com empresas privadas. São elas: biometria facial para autenticação de identidades, assinatura eletrônica biométrica, admissão digital, plataformas de benefício educacional corporativo e gestão de compra e venda de veículos. A Unico está presente em mais de 800 empresas, entre os maiores bancos privados, varejistas, fintechs, e-commerces e indústrias. Foi reconhecida como a terceira empresa mais inovadora da América Latina pela Fast Company em 2024; apontada como uma das “Companies to Watch in 2022” pela Liminal, empresa de consultoria estratégica focada em identidade digital, fintechs e cibersegurança; e nomeada entre as “100 Startups to Watch” em 2021. Saiba mais em www.unico.io.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.