Portal Realidade

Mind Lab ajuda redes de educação a recuperar indicadores de aprendizagem

Reduzir as desigualdades educacionais resultantes de diferenças sociais seculares é um dos principais desafios do Brasil. Cerca de 5,6% dos brasileiros com 15 anos ou mais são analfabetos, ou seja, aproximadamente 9,6 milhões de cidadãos não sabem ler ou escrever, de acordo com a PNAD Contínua, com dados de 2022, do IBGE. Destas, 55,3% (5,3 milhões) viviam no Nordeste.

Além disso, metade da população com mais de 25 anos não concluiu o ensino médio e 56,4% das crianças não estão alfabetizadas na etapa desejável, segundo a Pesquisa Alfabetiza Brasil de 2023. O levantamento ainda registrou queda de 25 pontos na média nacional obtida pelos alunos em alfabetização em relação à edição anterior, em 2019. Mostrando que apenas quatro em cada 10 crianças do 2º ano do ensino fundamental estavam devidamente alfabetizadas no País em 2021.

Desde sua fundação, em 2009, a Mind Lab, referência no desenvolvimento de tecnologias de impacto social com foco na abordagem socioemocional, busca colaborar com a melhora dos índices educacionais nas redes onde está presente. Por meio de uma metodologia única e exclusiva, que atua na jornada educacional, cognitiva e socioemocional, sobretudo da rede pública de ensino, a empresa contribui ampliando potenciais de aprendizagem. Os resultados são bastante satisfatórios e têm a chancela de instituições como Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), Instituto Ayrton Senna e Insper.

Partindo da adaptação de 50 jogos de tabuleiro, a empresa ajuda alunos de escolas públicas a aprender e a desenvolver novas habilidades. Ler coordenadas, preparar estratégias, trabalhar em equipe, melhorar a concentração e aprender a lidar com frustrações são algumas das experiências oferecidas. E é partindo do desenvolvimento de aptidões como essas, fundamentais para a vida adulta e laboral, que a metodologia da Mind Lab funciona, sempre de forma complementar ao conteúdo já ensinado em classe.

“Esse processo de desenvolvimento de competências socioemocionais tem uma relação direta com a aprendizagem. Além de preparar o aluno para a vida e contribuir para o desenvolvimento pleno da pessoa, produz esse impacto importante, tanto em português, matemática e ciência”, reforça Mozart Neves Ramos, que é membro do Conselho da Mind Lab e titular da Cátedra Sérgio Henrique Ferreira da USP – Ribeirão Preto.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.