Portal Realidade

Polícia apreende 4 fuzis com suspeito de integrar milícia de Zinho

Policiais da 36ª DP (Santa Cruz) apreenderam nesta terça-feira (26) quatro fuzis com um suspeito de integrar a milícia de Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho. O miliciano se entregou à Polícia Federal no último domingo (24).

Os agentes também apreenderam uma grande quantidade de munições e carregadores. O suspeito que estava com o armamento foi preso.

Nos últimos meses, a PF e o Ministério Público realizaram várias operações para prender o miliciano. A última delas foi a Operação Dinastia 2, no último dia 19, que teve 5 presos e a apreensão de 4 armas, além de R$ 3 mil em espécie e celulares, computadores e outros aparelhos eletrônicos.

Bastidores da prisão de Zinho

Mapas mostram rendição de Zinho — Foto: Infografia: Vitoria Romero Coelho/g1

Mapas mostram rendição de Zinho — Foto: Infografia: Vitoria Romero Coelho/g1

A defesa de Zinho procurou a Secretaria Estadual de Segurança Pública há pouco mais de uma semana para pedir um contato na Polícia Federal (PF) a fim de negociar a rendição do chefe da maior milícia do RJ e, até então, o criminoso mais procurado do estado.

Nem 10 pessoas sabiam dessas negociações.

Após o criminosos se entregar, a PF o deixou na porta de entrada do sistema penal fluminense, em Benfica, ainda na noite de domingo. Em seguida, a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) fez uma megaoperação para transferir Zinho ao Complexo Penitenciário de Gericinó.

A operação contou com um comboio formado por, pelo menos, 50 homens do Grupamento de Intervenção Tática (GIT), do Serviço de Operações Especiais (SOE) e da Divisão de Busca e Recaptura (Recap), todos da Seap.

O processo de fichamento e o traslado entre as duas prisões — em um trajeto de 35 km — durou pouco mais de uma hora. Agentes da PF deixaram Zinho em Benfica pouco antes das 23h. À meia-noite, o miliciano já estava em Bangu 1.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.