Portal Realidade

Prefeitura de Manaus comemora os avanços na Educação de Jovens e Adultos na rede municipal de ensino

Segundo dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados no último dia 17/5, a capital do Amazonas apresentou a maior taxa de alfabetização entre as pessoas na faixa etária de 15 anos ou mais, o que constata o trabalho realizado pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Esse é o resultado das atividades pedagógicas da secretaria com os professores na qualidade da educação na modalidade, mantendo-se acima de 97%, entre as capitais brasileiras, colocando Manaus na 12ª colocação em todo o país.

Na Semed, a modalidade é coordenada pela Gerência de Educação de Jovens e Adultos (Geja), contando com o total de 65 unidades de ensino, beneficiando 10.100 alunos matriculados no primeiro semestre, inclusive alunos inclusos, além de 600 professores que trabalham na modalidade. A EJA é destinada às pessoas com 15 anos ou mais.

Em 2023, a oferta de ensino da EJA na rede de ensino passou a ser semestral. Cada etapa de ensino tem a carga horária de seis meses. Quando se encerra um semestre, a Semed realiza a oferta de ensino para o semestre seguinte. Para isso, é realizada uma ampla divulgação nas escolas e veículos de comunicação.

Para a gerente de Educação de Jovens e Adultos (Geja), Alina Bindá, a secretaria oportuniza às pessoas que buscam o resgate de sua vida escolar várias atividades com programas para dinamizar, mas principalmente motivar na conclusão do curso.

“A Prefeitura de Manaus, por meio da Semed, garante com muita responsabilidade o direito à educação para todas as pessoas, que por qualquer motivo não concluíram os estudos em idade convencionada. O prefeito David Almeida e a secretária de Educação, Dulce Almeida, ao ampliarem a oferta de matrículas na rede e também ao disponibilizarem os materiais pedagógicos adquiridos e produzidos por esta gestão, subsidiam os professores proporcionando a formação significativa dos estudantes da EJA”, afirmou.

Atividades

Para dinamizar e desenvolver mais ainda os alunos da modalidade, a Semed realiza vários programas relacionados à temática, tais como: a Olímpiadas de Matemática na EJA (Olimeja), que trabalha as competências matemáticas dos estudantes e culmina com a premiação, tanto de professores e alunos do 1º, 2º e 3º lugares; o Círculo de Leitura e Escrita na EJA – Premiação Escola Leitora, na qual desenvolve as competências leitoras e escritoras dos estudantes, que se destacaram com a produção do caderno; a Oficina Alfaletrando na EJA, que promove a oficina de materiais didáticos com os professores da primeira etapa para trabalharem os procedimentos de alfabetização.

Outros programas relevantes também são desenvolvidos, como o Projeto Qualificação e Empreendedorismo na EJA, com oficinas de empreendedorismo com os estudantes da modalidade e em parceria com a Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Outra ação importante, é a Mobilização Ninguém Fora da Escola (Monifes), onde a secretaria promove o “Dia da Mobilização”, em todas as unidades de ensino da EJA, visando motivar os estudantes a permanecerem nas escolas no combate ao abandono escolar.

Resgate

Morando há dois anos em Manaus, e após perder sua mãe, o pedreiro Fernando William Figueiredo, de 35 anos, está tendo a chance de continuar sua vida escolar, mas principalmente de buscar um futuro melhor para sua família.

“Eu conheci a EJA e tudo mudou na minha, pois eu consigo ler e escrever melhor. Isso tem sido fundamental, tanto na minha vida quanto na de muitos que participam da modalidade. Antes eu tinha muita vergonha de não saber ler e escrever. É muito importante saber ler, andar por aqui, ver uma placa e saber se é para seguir ou não. Voltei a estudar para que possa me dedicar em um trabalho melhor, dar um futuro melhor para mim e minha família”, disse.

Com uma rotina dura em sua área de construção, além do resgate escolar, o pedreiro também realiza o sonho de sua mãe, que antes de falecer sempre pedia para que terminasse os estudos, já que antes não teve a oportunidade. Agora, ele conta com o apoio de todos na escola.

“Moro em Manaus há dois anos, foi quando passei a estudar e gostei de voltar aos meus estudos. Faz dois anos que minha mãe faleceu, e era um desejo dela que eu voltasse à escola. Hoje em dia, estou aqui, para realizar esse sonho. Estou achando muito boa a escola, o que eles oferecem, as oportunidades que a escola nos dá e várias outras coisas, porque incentivam as pessoas a estudar e prosseguir nos estudos. É tudo de bom para mim, para os outros alunos que participam, assim como os professores e a diretora, porque todos são bons e ajudam”, relatou.

Projovem Urbano

O Projovem Urbano é uma iniciativa do governo federal, com objetivo de promover a inclusão social dos jovens brasileiros de 18 a 29 anos que, apesar de alfabetizados, não concluíram o ensino fundamental e buscam a reinserção na escola e no mercado de trabalho. Esse programa proporciona ainda oportunidades de desenvolvimento humano e exercício efetivo da cidadania.

Na rede municipal de ensino, sete unidades educacionais fazem parte do programa, beneficiando 1.578 alunos matriculados, tendo superado a meta nacional. O curso tem a duração de 18 meses e, além da conclusão do ensino fundamental, oferece treinamento em informática, formação profissional inicial e atividades de participação cidadã.

Cemeapi

Com total de 24 instituições e 29 turmas, beneficiando 425 estudantes, o Centro Municipal de Escolarização da Pessoa Adulta e Idosa (Cemeapi), também coordenado pela Geja da Semed, atende pessoas na faixa etária de 35 anos ou mais. A modalidade é um programa de políticas públicas adotado pela Prefeitura de Manaus, no sentido de ampliar a oferta de matrículas na EJA. As aulas são realizadas nos turnos matutino e vespertino, em turmas multisseriadas.

As atividades funcionam em espaços não formais, como cozinhas comunitárias; igrejas; Centros de Referências e Assistência Social (Cras); Unidades Básicas de Saúde (UBSs); secretarias municipais de Saúde (Semsa), Limpeza Pública (Semulsp) e da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), entre outras instituições.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.