Portal Realidade

Prefeitura de Manaus implementa primeiro Plano de Contingência Municipal para enfrentamento de desastres naturais

Prefeitura de Manaus, lançou, nesta terça-feira, 28/5, o Plano de Contingência (Plancon) 2024, elaborado pela Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil Municipal (Sepdec), para ser implementado na capital. O documento visa coordenar esforços para reduzir a ocorrência de desastres e, caso ocorram, minimizar seus impactos.

Durante o lançamento realizado no Centro de Cooperação da Cidade (CCC), no bairro Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul, o prefeito David Almeida, explicou que o plano é um trabalho desenvolvido com a transversalidade das pastas municipais, para dar respostas rápidas à população.

“A pandemia nos ensinou bastante, a maior enchente nos ensinou, a maior estiagem e,  desde setembro, nós estamos construindo esse plano de contingência. São respostas rápidas aos problemas climáticos surgidos a partir dos fenômenos naturais, e que, agora, está  à disposição de toda a sociedade no site da prefeitura. A gente não pode impedir que chova, a gente não pode impedir que o rio possa baixar, secar, mas estamos mostrando para a sociedade, para a população, que nós temos condições de dar as respostas necessárias caso ocorram esses eventos climáticos”, disse Almeida.

O documento estratégico define as ações das diversas entidades municipais antes, durante e após desastres naturais, como chuvas intensas, cheias, estiagens e incêndios. O plano conta também com um monitoramento das áreas de encosta, assim como prevê a instalação de 14 novas estações pluviométricas para os próximos 30 dias.

“Tem todo um protocolo de ação e reação da prefeitura. Nós estamos também instalando, em Manaus, 14 estações meteorológicas e, posteriormente, vamos também montar estações sísmicas para evitar que essas áreas de risco possam ter um desbarrancamento, ou algo nesse sentido, que possa vir causar muitos problemas e danos à população”, informou o prefeito.

Outra medida prevista no plano será a perfuração de 15 poços artesianos de 120 metros por 6 polegadas de diâmetro, em 15 comunidades ribeirinhas mais isoladas.

“Os poços que tínhamos com 40 metros já  secaram, então,  está dentro do plano de contingência, nós iremos fazer a instalação nessas 15 comunidades. Fizemos o mapeamento de 83 comunidades no entorno da cidade de Manaus que são impactadas, e temos a estimativa da aquisição de alimentos, kits de higiene; caso venha acontecer algo nesse sentido, temos um planejamento feito e assim nós vamos dar a pronta-resposta para a população”, complementou o prefeito.

O plano detalha ainda as ações de cada órgão municipal, promovendo uma atuação conjunta e eficiente, além de estabelecer a logística necessária, como bases de reunião, pontos de abrigo, hospitais e unidades de saúde, organizados pela Zona Administrativa de Manaus. Dessa forma, a prefeitura busca garantir uma resposta rápida e eficaz em situações de emergência.

Segundo o titular da Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil Municipal, Gladiston Silva, o plano de contingência já está sendo utilizado por todas as secretarias municipais e que, em ocorrências de desastres, é importante que a população mantenha a defesa civil informada sobre eventos desse tipo a partir da Central 199.

“No momento em que ocorre um desastre, esse plano passa a ser usado naquele evento. Então, as equipes são acionadas diretamente a partir do momento que tomamos conhecimento do desastre. A gente dispara o plano de contingência e todas as secretarias municipais ou órgãos estaduais e federais que estão previstos no plano para atuarem também, passam a seguir os protocolos que estão registrados no plano de contingência, assim, a gente consegue maximizar a atuação de cada um dos órgãos”, explicou o titular. 

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.