Portal Realidade

Saúde investirá R$ 55 mi para ações de combate a hanseníase

O Ministério da Saúde anunciou na 3ª feira (23.jan.2024) que vai investir cerca de R$ 55 milhões para a prevenção e tratamento da hanseníase no Brasil em 2024. Parte do dinheiro, estimado de R$ 50 milhões, será repassado para 955 municípios nas 27 unidades da federação. 

As cidades que terão grande parte do dinheiro destinado, são classificadas como de alta endemia, com o registro de 10 casos por 100 mil habitantes. Agora, as regiões deverão investir na detecção de casos novos de hanseníase, aplicação de testes rápidos, resgate de casos em situação de abandono, dentre outras políticas de saúde pública. 

A ação faz parte do Ciedds (Comitê Interministerial para Eliminação da Tuberculose e de Outras Doenças Determinadas Socialmente). Em conjunto com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o recurso destinado faz parte da meta de eliminar as doenças consideradas “negligenciadas”, como a hanseníase, até 2030. 

O Janeiro Roxo é considerado o mês de conscientização e alerta da doença. Já em 26 de janeiro, se comemora o Dia Mundial contra a Hanseníase.

Na abertura do Janeiro Roxo, foi anunciado também mais de R$ 4 milhões para investimento em pesquisa de novos medicamentos e R$ 1 milhão para a abertura de edital para ações de enfrentamento e discriminação da doença. 

O ministério investiu em 2023 em 150 mil testes para a avaliação de contatos nos 27 Estados. O Brasil é o 1º país a oferecer testes rápidos para a detecção da doença na rede pública. 

VACINA

Os novos investimentos anunciados pelo Ministério da Saúde, juntam-se aos R$ 5 milhões liberados em 2023, para a pesquisa e desenvolvimento nacional de uma vacina para a doença.

No momento, o setor do governo, em conjunto com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), realiza um ensaio clínico para avaliar a eficácia da Lepvax, considerada a 1ª vacina específica da Hanseníase no mundo. O projeto espera liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância). Sanitária). 

CASOS DA DOENÇA

Ao todo, segundo o Boletim Epidemiológico de Hanseníase 2024, foram registrados no mundo 174.087 casos novos da doença, correspondendo a uma taxa de detecção de 21,8 casos por 1 milhão de habitantes. O Brasil fica em 2º lugar no ranking de novos casos. 

No país, de 2013 a 2022, cerca de 316.182 casos foram registrados. Dentre o total, 254.918 foram casos novos e 141.671 foram detectados em homens.

Segundo informações do Painel de Monitoramento de Indicadores da Hanseníase do Ministério da Saúde, o Estado de Mato Grosso segue liderando o ranking das unidades federativas com maiores taxas de detecção da doença.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.